Referência pro pai

by Eduardo Lautert


Todo início de agosto é a mesma coisa: "10 presentes para deixar o seu pai mais estiloso", campanha de Dia dos Pais com modelos sarados de 30 anos no papel de pai de família, pais representados por homens de terno e gravata... Mas nem todo pai é assim. E nem deveria ser.

A ideia de hoje é fazer um pouco diferente. Já que quarta-feira é o dia oficial das referências na nossa pauta semanal, nada mais justo que adaptá-las para que a gente possa compartilhar ideias e estilos para todos os pais.

Separamos então, 5 caras que representam 5 diferentes gerações paternas. Indo do mais velho ao mais jovem:


O estilo do Lollapalooza Chicago 2017

by Eduardo Lautert


Saudades dos festivais de música? Pois esse fim de semana rolou um dos mais importantes do circuito. O Lollapalooza Chicago.

Irmão mais velho das versões brasileira e chilena, o Lolla Chicago é famoso por reunir um line up de peso no centro da cidade de Chicago, criando uma experiência musical e visual.

E por falar em visual, muita gente elegante passou por lá. Abaixo a gente separou uma galeria com alguns dos momentos mais importantes do evento. E para ter uma noção da qualidade do festival, olha os nomes que ficaram de fora da nossa galeria: The XX, The Killers (não tivemos fotos decentes), Cage The Elephant (mesmo caso), Lorde, Arcade Fire, Muse, Wiz Khalifa, Glass Animals, Migos, alt-J e muitos outros.


Referência pra homem: Michael Kiwanuka

by Eduardo Lautert


A referência de quarta-feira veio só na sexta. Por que? Nem a gente sabe, mas que combinou com o clima de final de semana, combinou.

Michael Kiwanuka é um cantor e compositor inglês de 30 anos de idade que tem movimentado o gênero soul internacionalmente. Ele é presença cada vez mais frequente em festivais e premiações de música ao redor do mundo. E assim como as suas principais influências (Marvin Gaye, Bill Withers e Otis Redding, por exemplo), ele também investe em roupas básicas, mesclando algumas cores e acessórios extremamente pontuais.

Cores como marrom, cinza, azul e preto são as mais frequentes. Certo ele. Elas combinam entre si e permitem variações tanto para verão quanto para inverno. Outro detalhes são as peças do seu guarda-roupas. Vemos muitas jaquetas (de jeans e de couro), vemos muitas botas e vemos acessórios bem elegantes. Nada de exagerado, sempre chamando atenção de uma forma positiva, com estilo. O cabelo black power fecha o combo com bastante originalidade. Um visual que permeia o despreocupado, mas nunca chega perto do desleixo. Isso acontece quando o indivíduo está tão seguro do próprio visual que não precisa ficar horas pensando no que vai vestir - tudo sai mais naturalmente. E quer saber? Quando é assim, natural, o resultado fica mais legal ainda.


Social sem ser formal

by Eduardo Lautert


É praticamente consenso que uma boa camisa é um item fundamental no guarda-roupas masculino. A maioria diz que ela tem que ser branca. Sim, é uma das mais fáceis de combinar. Mas azul, preta e cinza também servem.

Mas como faz para usar camisa sem parecer um caixa de banco no seu tempo de folga? Como faz para não parecer um traje formal mal desconstruído?

Primeiro lugar, corte. Cuidado com o caimento e com as medidas da camisa. Atenção para a largura na cintura e nos braços. Nem folgada, nem estourando botões. Outra importante dica é a estampa. Está permitido ser formal com estampa, logo está igualmente permitido ser informal. Vale da combinação. O que nos leva para outro fator: cores. Branco, preto e azul são fáceis, mas outras alternativas também podem fazer essa duplicidade (formal/informal). Nenhuma é mais formal que a outra se analisarmos somente a cor. Colarinhos. O americano, que serve até para usar com gravata, é o mais despojado, já que geralmente é o menos estruturado. Normalmente as camisas mais sociais são as com colarinho mais firme, portanto o meio termo pode ser interessante. Outros fatores como enrolar a manga, colocar (pelo menos uma parte) para fora da calça, combinar com jeans, tênis, sapato sem meia e etc também ajudam a variar.

Abaixo a gente preparou uma galeria com ideias de camisas formais que podem, de um jeito ou de outro, se encaixar num visual mais despojado.


Xadrez com xadrez. Combina?

by Eduardo Lautert


Inverno é, tanto quanto o verão, uma estação de estampas. Talvez das mais tradicionais e clássicas. Enquanto que no verão podemos ver estampas como florais e listras, no inverno vemos muito xadrez. Muito mesmo. Em todas as peças.

Mas será que combinar xadrez com xadrez é uma ideia boa?

Claro que é. É fácil? Nem um pouco. Fica elegante? Se acertar, muito. Então, como faz? Primeiro, cores. Lembrar daquela dica de roubar cor é sempre válido. Outra coisa é que nem sempre as duas peças precisam ter a mesma intensidade. A combinação pode muito bem ser facilitada por estampas mais discretas, daquelas onde o xadrez é quase imperceptível. Outra coisa que facilita são as peças de diferentes tamanhos e necessidades. Um paletó e um lenço, por exemplo. Uma camisa e uma meia... Enfim. A galeria abaixo mostra isso através, na maioria das fotos, de trajes com gravata. É outro exemplo, mas que pode se expandir até para figurinos mais despojados. Basta seguir algumas dicas e ter bastante bom senso na hora de avaliar o resultado.


Referência pra homem: Max Rogers

by Eduardo Lautert


Olha a quarta-feira de volta trazendo mais referência bacana de estilo.

Max Rogers é um modelo britânico de carreira internacional considerável. Entre seus trabalhos mais importantes estão editoriais para grifes como Esprit, Tommy Hilfiger, Superdry, Dolce & Gabbana e Gieves & Hawkes. E como um verdadeiro gentleman britânico, principalmente tão inserido dentro do mercado da moda, nada mais justo do que se tratar também de uma referência de estilo. Ou seja, estar aqui, em plena quarta-feira das referências, não é nada além da sua obrigação (brincadeira).

Trajes muito bem cortados e alinhados, que obedecem minuciosamente as principais regras e tradições da alfaiataria britânica, são frequentes. Cores sóbrias e neutras como cinza, azul e branco são as preferidas, por vezes sendo acompanhadas de azuis, marrons e outros tons semelhantes. A galeria abaixo mostra isso e ainda sugere ideias de sobreposição, sapatos e também o uso de acessórios com tremenda elegância.


O estilo do Torneio de Wimbledon 2017

by Eduardo Lautert


Essa semana a gente não começa com tapete vermelho. Começa com tapete verde:

Acabou ontem, em Londres, mais uma edição do lendário torneio de tênis de Wimbledon - o único Grand Slam da temporada jogado em quadras de grama. E por se tratar do mais tradicional campeonato de tênis do planeta, claro que boa parte da plateia capricha no figurino. Olha só:


10 legados do Rock para a moda

by Eduardo Lautert


Quinta-feira, dia 13 de julho. No Brasil comemora-se o Dia Internacional do Rock. Pra quem comemora St Patricks Day, que mal tem comemorar o Dia do Rock?

Pensando nisso, nosso post hoje traz 10 importantes elementos criados OU eternizados pelo gênero:


Referência pra homem: Laurent Lafitte

by Eduardo Lautert


A quarta-feira das referências retorna com mais um ícone que vem do outro lado do Atlântico.

Laurent Lafitte é um ator francês conhecido no cinema nacional, mas com uma reputação ainda singela em termos de mercado cinematográfico internacional. No seu currículo podemos ver filmes como "Não Conte a Ninguém", "A Espuma dos Dias" e talvez o mais conceituado de todos, "Ela". E mesmo não sendo um mega astro de Hollywood, não podemos esconder o fato de que Lafitte conta com muitos atributos ao seu favor para figurar aqui em plena quarta-feira: é francês, sabe se vestir bem e foi apresentador do Festival de Cinema de Cannes (aquele tão cheio de elegância) no ano passado.

Mas por que ele é uma referência? Começando com a idade: 43 anos. Sabemos que ser considerado um cara elegante com mais de 40 anos nem sempre é comum. Geralmente esse perfil de homem deixa de se preocupar com o corte ou o estado das roupas que veste. Não é o caso do monsieur em questão. Laurent Lafitte é referência em termos de corte e caimento das suas roupas. Nada é folgado e desleixado, e também não passa perto de ser apertado demais. Esse cuidado e bom gosto também se reflete nos tons. É difícil vê-lo usando trajes de cores vibrantes e chamativas. Tudo está dentro de uma paleta discreta e sóbria, com raros e delicados momentos de descontração. Uma verdadeira referência pra homem. E a galeria abaixo ilustra tudo isso muito bem:


Sessão retrô: flanela

by Eduardo Lautert


A Sessão Retrô de hoje segue no clima do inverno:

David Beckham, Ryan Gosling e Jake Gyllenhaal são exemplos de caras que se vestem muito bem independente da ocasião. E um item quase que obrigatório no guarda-roupas masculino, a flanela, possui uma imagem um tanto equivocada. Tem muita gente que acha que a flanela não precisa ter um corte slim, com um caimento acinturado. Claro que se trata de uma questão pessoal, mas é interessante sim que ela tenha um corte diferenciado, sem ficar larga ou com muitas sobras. Praticamente como uma camisa social. Praticamente.

Sobre o uso da flanela, não é mistério nenhum que elas funcionam muito bem para diferentes situações. Elas podem ser usadas sem nada por baixo, com camiseta por baixo, ou até com uma outra camisa ou malha por baixo - criando aquela ideia de sobreposições que tanto valorizamos. Fechada até o colarinho, toda aberto ou meio termo. O importante é experimentar e ter uma boa dose de autocrítica na hora de analisar o resultado final.

Abaixo temos alguns interessantes exemplos de usos e estilos:


Mantão

by Eduardo Lautert


Ah, o inverno. Estação mais elegante do ano, na nossa humilde opinião. Estação que traz as sobreposições, as texturas e os acessórios. E é de um acessório bem importante que falaremos hoje: a manta. Mas mais do que manta. Daquela manta grande, volumosa e que cumpre um importante papel de nos proteger - tanto quando cumpre o papel de deixar seus usuários mais elegantes.

Existem inúmeros modelos disponíveis no "mercado", inclusive na seção feminina - sim, muitos modelos femininos podem ser encaixados perfeitamente num figurino masculino. Cores, estampas, texturas e formas de usar podem variar bastante. Mas lembremos de algumas coisas. No campo das cores e estampas, é bom lembrar que as mais vibrantes tendem a dificultar combinações e marcam mais, ou seja, são mais facilmente reconhecidas quando usamos demais. Sobre as texturas, aqui cabe bastante o quesito conforto. Não sendo algo incômodo e ao mesmo tempo oferecendo a proteção necessária contra o frio, tudo é válido. E sobre a forma de usar, vale ser criativo e vale ser conservador. Cabe da ocasião, do modelo e claro, do gosto de cada um. Só não precisa fazer como o Lenny Kravitz e exagerar no "mantão".


Referência pra homem: Christoph Schaller

by Eduardo Lautert


Está de volta a quarta-feira das referências. E com vocês, Christoph Schaller:

Fotógrafo alemão, com trabalhos e parcerias com importantes marcas internacionais como Adidas Originals, Apple, Audi, Asos, Condé Nast, Levi‘s, Lexus, Louis Vuitton, Lufthansa, Nike Football, Sony Music, Topman, Universal Music e Vice, Christoph é também uma das figuras mais vistas em blogs e sites de moda masculina da atualidade. Isso porque além de fotografar modelos, ele também registra os seus próprios figurinos. E como podem imaginar, se apareceu aqui numa quarta-feira, é porque tem muito bom gosto envolvido.

Por se tratar de um alemão, logicamente que suas roupas representam muito mais combinações de inverno do que de verão. Então temos um excelente compilado de casacos, jaquetas, botas, mantas e sobreposições para servir de inspiração para esses meses mais frios que tomam conta de uma parte do nosso país. Cores. Prestem atenção nas cores. Tudo muito sóbrio, discreto e ao mesmo tempo variado, sem se render apenas ao preto. Combinar tons distintos no frio pode ser mais complicado do que parece. São peças maiores, mais chamativas, por isso é interessante que tenhamos algum cuidado na hora de investir em cores mais vibrantes. A galeria abaixo mostra um pouco disso tudo:


Referência pra homem: Brooklyn Beckham

by Eduardo Lautert


Quarta-feira. Precisamos falar sobre referências de estilo.

E precisamos falar sobre Brooklyn Beckham. Isso mesmo, do herdeiro mais velho do casal Victoria e David. 18 anos feitos em março e já pode ser considerado um dos caras mais bem vestidos da nova geração. Claro que com pais como esses, se vestir bem vira quase que uma obrigação, algo que vem de berço. No entanto nem tudo que ele veste é influência dos pais. Bom pra ele. "Deixem a criança criar o próprio estilo", é uma mensagem que gostamos de passar para os pais e mães hoje em dia.

Do pai podemos notar um gosto forte por botas, jeans e claro, o esporte. Da mãe vemos a parte mais moderna da coisa. Peças de roupa e acessórios vindos da última coleção da grife mais  hypada do momento. Tudo isso cria um perfil interessante, que mescla muito bem opções clássicas e minimalistas com toques de contemporaneidade. Tudo na medida certa. Ainda mais para um cara recém saiu da adolescência. Tal pais, tal filho.


O estilo do NBA Awards 2017

by Eduardo Lautert


Depois daquele recheado compilado do Glastonbury, um compilado da NBA.

Aconteceu ontem, em Nova York, mais uma edição do NBA Awards 2017, quando a liga nacional de basquete premia os principais destaques da última temporada. E deu a lógica. Como falamos aqui, Russell Westbrook venceu o prêmio de MVP (Jogador Mais Valioso) e caprichou no figurino para receber o troféu. Ele e muitos outros destaques do campeonato estão logo abaixo na nossa galeria. Uns mais bem vestidos do que outros, é verdade, mas deixemos para os leitores esse julgamento.


O estilo do Glastonbury 2017

by Eduardo Lautert


Coisa boa abrir a semana com música boa e gente bem vestida.

Sim, acabou ontem, na Inglaterra, mais uma edição do Glastonbury -  para muitos o maior festival de música do planeta. Como de praxe, o line up reuniu nomes gigantescos de todos os gêneros musicais possíveis. Os melhores momentos podem ser conferidos aqui. Os destaques de estilo, a gente lista logo abaixo:


Instagram pra homem: cpeterspiano

by Eduardo Lautert


Pensando em rechear ainda mais o nosso feed no Instagram, vem aí mais uma dica de Instagram masculino de respeito.

Elegância e simplicidade. Não tem forma melhor de classificar o @cpeterspiano. Ele não tem milhares de seguidores e não viaja o mundo fotografando as paisagens mais bonitas. O que faz dele um perfil elegante e que merece ser seguido? Justamente isso. São fotos dos seus figurinos diários, com o mesmo plano de fundo e praticamente a mesma pose, sem mostrar o rosto.

E as roupas obedecem esse estilo minimalista. Quase não vemos estampas chamativas ou tons muito vibrantes, e isso torna o guarda-roupas mais versátil e adaptável. Podemos ver a mesma jaqueta sendo combinada com diferentes calças, camisas e sapatos, por exemplo.

Vale o follow e vale a inspiração na hora de montar um guarda-roupas mais enxuto sem perder o bom gosto.


Kingsman: O Círculo Dourado - o filme

by Eduardo Lautert


Sexta-feira, bem-vinda. Mesmo que ontem tenha sido feriado, ainda apreciamos a chegada de mais um fim de semana.

E pra combinar com o clima leve e animado da sexta, trazemos aqui mais uma dica de filme que logo logo vai estar em exibição na maioria dos cinemas do país (ao mesmo tempo que estará disponível para download na grande rede de computadores). "Kingsman: O Círculo Dourado" é a sequência do filme de 2014 "Kingsman: Serviço Secreto". Mesmo diretor (Matthew Vaughn), mesmo elenco (Taron Egerton, Colin Firth e Mark Strong) e algumas participações especiais bem especiais (Channing Tatum, Halle Berry e Jeff Bridges).

Não precisamos dizer que o figurino muito provavelmente seguirá aquele excelente padrão do primeiro filme da série. Também ambientado na Inglaterra, com forte ligação com a alfaiataria britânica, esse novo capítulo é garantia absoluta de trajes, acessórios e até dicas excepcionais na tela. Aos que não viram o primeiro, pensem num 007 mais bem-humorado, mas no mesmo nível de elegância. As primeiras imagens divulgadas e o trailer do filme não nos deixam mentir:


Referência pra homem: Isaac Carew

by Eduardo Lautert


É quarta, mas parece sexta. Antes do maravilhoso feriado que nos espera no dia de amanhã, falemos mais uma vez sobre uma elegante referência de estilo.

Isaac Carew é o escolhido dessa semana. Mais um modelo jovem, com um estilo urbano e que representa muito bem a sua geração. Outro também nascido no Reino Unido, ele também se destaca pela carreira de chef de cozinha - sua formação antes de virar modelo internacional. Isso mesmo, além de desfilar pelas principais passarelas do planeta e fotografar com os mais renomados fotógrafos para as mais importantes revistas de moda, ele também mantém o The Dirty Dishes, dedicado, nas suas palavras, a "receitas fáceis e deliciosas".

Em termos de figurino, ele segue uma linha parecida com a nossa referência da semana passada, Ash Stymest, mas com menos tatuagens. Roupas que remetem mais ao universo do rock, com calças e jaquetas jeans, botas, jaquetas de couro e cores sóbrias, discretas. Tudo, claro, muito bem combinado e obedecendo um importante critério da moda britânica: o corte. A galeria logo abaixo ajuda a explicar isso tudo:


Sessão retrô: sobreposição

by Eduardo Lautert


O inverno, ao que parece, está chegando. Não, esse post não tem nada a ver com Game of Thrones.

Também chamadas de camadas, a sobreposição é um assunto que já andou por aqui algumas vezes - é uma ótima forma de se vestir quando a temperatura é mais baixa. Não precisa vestir um casacão só por cima da camisa/camiseta. É possível se proteger com algumas camadas de roupas. Sobrepor, por exemplo, camiseta, camisa e jaqueta já é uma ótima opção. Peças como camisas, coletes, cardigãs, jaquetas, paletós e afins são perfeitas para isso. Até em dias de frio não tão intenso.

É bom lembrar que combinar as cores é sempre o mais indicado. Portanto lembrar da dica de roubar cor, usando cores parecidas na maioria do conjunto, ajuda muito. O uso de camadas implica - obviamente - no uso de uma maior quantidade de roupas, logo, é bom cuidar com os tons, evitando variar muito. Não tem problema misturar estampas, mas também é bom ter cuidado, elas podem facilmente arruinar a produção.

É sempre bom lembrar. É possível se vestir bem no inverno.


Referência pra homem: Ash Stymest

by Eduardo Lautert


A referência dessa semana vem mais uma vez do Reino Unido. Como se não bastasse isso, o cara ainda se veste muito bem.

Ash Stymest é um modelo internacional de fama igualmente proporcional ao tamanho da sua elegância. Sim, porque ao longo da sua jovem carreira de modelo (ele tem 25 anos), Ash já desfilou nas passarelas vestindo roupas de grifes como Chanel, Coach, H&M, All Saints, Dr. Martens e Topman. Além de aparecer em importantes revistas do meio fashion como Vogue Hommes, Italian Vogue, EY! Electric Youth! e Dazed & Confused.

No seu currículo ainda aparecem interesses do tipo "tatuagem", "música" e "bateria". Só por aí já podemos ter uma ideia do estilo do cara. Envolve música, mais especificamente rock 'n' roll. E isso se transfere notavelmente para as roupas. Calças skinny, botas e coturnos, jaquetas de couro e muito jeans. Sem falar nas belíssimas tatuagens, claro.