Daniel Radcliffe e Philip Seymour Hoffman: aniversariantes do dia

by Eduardo Lautert in , ,


É com muito orgulho que nessa segunda-feira, homenageamos duas personalidades, que, com muito estilo e personalidade, estão na galeria dos grandes atores elegantes.

Daniel Radcliffe. Mais conhecido pelo papel daquele bruxo cujo nome não me lembro. Outro representante da cultura britânica de se vestir. E se vestir muito bem. Daniel é o legítimo garoto inglês moderno, que se veste sem seguir tendência, mas com muita elegância. E o melhor, a fama de ídolo teen não atrapalhou em nada sua carreira, nem seu estilo, já que é notável a evolução de Radcliffe como ator e o seu bom gosto para roupas.


Philip Seymour Hoffman. Na minha humilde opinião, um dos maiores atores da atualidade. Mas aí você pergunta: mas o que ele tem de estiloso? Não muito, é verdade. Mas sua personalidade é tão bem expressada no seu visual, que ele vira um cara estiloso. Sua pouca preocupação com o excesso de peso e cabelos brancos o tornam um cara elegante por si só. Simples, verdadeiro e por isso, elegante.


Mick Jagger: aniversariante do dia

by Eduardo Lautert in ,


Há exatamente duas semanas, saudávamos aqui o aniversário de 50 anos de uma das maiores bandas da história do rock, os Rolling Stones. E hoje é dia de mais uma vez ouvir a mesma playlist, o mesmo vocal. Isso porque Sir Michael Philip "Mick" Jagger o maior frontman de todos, faz 69 anos.

Falar da importância de Mick para a civilização moderna é chover no molhado. Mas não pode ser ignorado. O rebelde mais cobiçado dos anos 60, 70, 80, 90 e, se bobear, dos anos 2000, celebra quase sete décadas de muito talento, rebolado, rock & roll e estilo.

Mick era (e ainda é) o motor dos Stones. O cara que fazia a locomotiva andar. E andar muito. Um dos precursores da verdadeira atitude roqueira, que mesclava rebeldia com charme, e sempre sem perder o gingado, nem o estilo. E que estilo, meus amigos. Durante anos Mick foi o roqueiro mais estiloso do mundo, suas produções mostravam o astro que ele de fato era (e ainda é). E acima de tudo, mostravam o verdadeiro Mick Jagger e o motivo pelo qual ele é (e deve seguir sendo) venerado por onde passa: um cara de extremo talento e simplicidade, que não ostentava a sua fama no visual nem na atitude.

Parabéns e obrigado, mestre!



Rolling Stones 50 anos

by Eduardo Lautert in ,


Hoje fazem exatamente 50 anos que um grupo de jovens ingleses se juntou para fazer música. E acabaram fazendo história. Muita história. Movidos pelo blues e pelo rock and roll, esses rapazes viriam a formar a maior banda do mundo.

A banda que mais inspirou, chocou e animou as gerações dos anos 60 até os anos 2000. Com a levada e a classe do baterista Charlie Watts (que nas palavras de Keith Richards é onde está o grande diferencial da banda), seguido pelo baixo super presente e característico de Bill Wyman, a guitarra do pirado porém multitalentoso Brian Jones, a outra guitarra legitimamente roqueira de Mick Taylor, chegando à jovialidade e presença de Ronnie Wood. Tudo isso se completa com as figuras de Mick e Keith. O Tico e o Teco. O Lennon e o McCartney com rebolado e algumas doses a mais de álcool. Os caras que fazem a coisa ser como é, com muito talento e como sempre, muito estilo.

Tudo isso forma a maior banda de todas. Que mesmo com todas as pedras no caminho consegue ser a banda perfeita. Perfeita não no sentido de impecável, mas no sentido de que cada integrante dá aos Rolling Stones a cara e a fama de maior de todas. Indo da mais alta elegância e classe de Charlie Watts, até os mais loucos figurinos à lá pirata de Keith Richards.

Os Stones são assim, perfeitos. Perfeitos do seu próprio jeito e porque nos dão, há meio século, tantas e tantas canções que fazem a gente esquecer e até superar as pedras do nosso próprio caminho.



Jack White: aniversariante do dia

by Eduardo Lautert in ,


O dia de hoje provavelmente será lembrado no futuro como dia do aniversário de uma das maiores lendas do rock. Hoje ele é apenas o 37º aniversário do Jack White.

Jack é praticamente um Midas do rock & roll. Tudo que ele toca vira ouro. Tudo que ele toca, vira música boa. Foi assim com o White Stripes, depois com os Raconteurs, com o Dead Weather e é atualmente na sua carreira solo.

Nascido em Detroid, cidade marcada pelo hip-hop, Jack é um verdadeiro coquetel de estilo. Essa mistura acaba criando esse verdadeiro personagem, que mais parece ter saído de um filme do Tim Burton.

Na época de White Stripes a regra era usar vermelho, preto e branco. Quase como um uniforme. Até a guitarra combinava. Mas com o passar dos anos e com o passar das bandas, Jack foi "evoluíndo", vestindo roupas não tão coloridas e mais estilosas, mas, às vezes, igualmente chamativas. Tudo digno de um rockstar.

Mas de nada importa se o Jack White exagera ou não nas suas produções, ele é um gênio da sua geração. Um gigante cujo talento se sobressai quando se fala do estilo.