Referência pra homem: Lalle Johnson

by Eduardo Lautert


Quartou, pessoal. Então senta que lá vem referência:

Lalle Johnson é um stylist de Estocolmo cujo rosto também é frequentemente visto nos principais sites e eventos de moda masculina ao redor do mundo. Conhecido por não dar bola para tendências, Johnson fala que “Tudo anda em ciclos, e todas as tendências já foram feitas 10 vezes no passado em diferentes variações". Para ele, mais vale o design e o material do que uma nova regra ou a última moda.

Ele mesmo caracteriza o seu estilo como “soft and tailored”, criando um figurino que mescla casualidade e conforto com itens de alfaiataria tradicional. Ou seja, é elegante e fundamentado em regras e peças mais clássicas, mas que não perde o conforto e a identidade. Não vemos peças que gritam “tendência” e “ousadia”. Tem capricho, mas não tem afetação ou exagero. Gerando assim um resultado natural e despretensioso - o que podemos concluir também com ajuda da galeria logo abaixo:


A tendência para cabelos em 2019

by Eduardo Lautert


Chegou a sexta-feira. E dessa vez a gente retoma um assunto importantíssimo pra homens de todas as idades: o cabelo.

Todo fim de ano é a mesma coisa, chegam as tendências de cortes de cabelo para o ano que vem. E a coisa insiste em não mudar. Topetes mega ultra elaborados, com muitos centímetros de altura, cortes milimétricos e doses generosas de produtos para fixar, texturizar e colorir. Nada contra, mas pegar leve pode ser muito mais interessante.

Topetes são legais, mas um aspecto natural é imprescindível. Portanto na hora de preparar o penteado, desapegue. Assim como na hora de se vestir, qualquer exagero ou esforço demasiado criam um resultado ruim também no cabelo. Dá para ter capricho sem forçar a barra. Dá para ter um visual natural sem perder a elegância.

Dá pra ser menos assim:

E mais assim:


Referência pra homem: Henry Golding

by Eduardo Lautert


Quartou e tá na hora de falar sobre referência de estilo.

Henry Golding é um ator e apresentador nascido na Malásia e criado na Inglaterra que tem dado o que falar. E muito dessa recente fama se deve ao seu bom gosto na hora de se vestir. Apresentador do programa The Travel Show da BBC, ele hoje já tem filmes e séries no currículo.

Apontado por alguns veículos como um dos homens mais bem vestidos da atualidade, Golding é referência no quesito corte e combinações. Sempre com trajes que respeitam milimetricamente suas medidas, ele é mais um dos inúmeros exemplos de homens que são elegantes “apenas” por acertar no tamanho da roupa. E na hora de combinar, tons neutros e pouca informação ajudam bastante - como podemos ver na galeria abaixo:


Ladrão de Casaca (1955) - o filme

by Eduardo Lautert


Começou dezembro. E começou com uma dica de filme clássico com um figurino daqueles.

“Ladrão de Casaca” (To Catch a Thief) é um filme de 1955 dirigido e produzido por Alfred Hitchcock que conta a história de um ladrão aposentado que tenta se livrar das acusações de um grande roubo de jóias e se envolve com uma bela donzela. Com Cary Grant e Grace Kelly no papel de protagonistas, a película - filmada na Riviera Francesa, é não só um marco na sensacional filmografia do diretor e dos atores, mas também um dos filmes mais elegantes da história. E que mesmo 60 anos depois, segue sendo uma bela referência de estilo masculino e feminino.

Cary Grant e Grace Kelly estão no hall da fama dos atores mais bem vestidos do cinema, e nesse filme encontramos os dois no auge. Falando mais especificamente dele, temos uma belíssima mistura de trajes formais com roupas casuais. Cortes precisos, acessórios pontuais e muita sabedoria na hora de combinar cores e texturas. Uma união de classe com simplicidade, criando um figurino histórico e eterno:


Referência pra homem: Bruce Pask

by Eduardo Lautert


Dia de referência de estilo por aqui. E mais uma vez resgatamos um velho conhecido do blog.

Bruce Pask é o atual Diretor Fashion da Bergdorf Goodman. Outro que seguidamente é visto nos principais blogs e sites de street style em fotos de Scott Schuman, Tommy Ton e muitos outros. O que faz todo sentido. Sempre desfilando com roupas criativas, combinações diferentes e sem extravasar em tons muito vibrantes e estampas muito exageradas, o cara serve de exemplo para homens que gostam de misturar estilos e variar o corte de cada peça.

Mas mais do que ousado, Bruce Pask é diferente e criativo. Suas ideias fazem dele um ícone que vai contra aquela história de que quanto mais discreto, melhor. Às vezes (só às vezes), alguns toques menos convencionais podem dar uma cara mais elegante para o visual em questão. Mas lembrem: para evitar o exagero, peças avulsas. Evite cores chamativas e peças inusitadas em grande quantidade. Uma ou duas já cumprem o papel. Sr Pask nos ensina:


O estilo do Governors Awards 2018

by Eduardo Lautert


Mais uma semana que começa com tapete vermelho e a gente mergulha com tudo nos melhores momentos.

Aconteceu no último dia 18, em Los Angeles, a décima edição do Governors Awards - uma cerimônia organizada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Nela 3 prêmios são dados pelo conjunto da obra e trabalho por causas humanitárias. Uma categoria que antigamente fazia parte da programação do Oscar, mas que desde 2009 ganhou um evento próprio.

E como era de se imaginar, muita gente bem vestida passou por lá. Algumas a gente cita e comenta aqui embaixo:


Sexta black

by Eduardo Lautert


Sextou e tem black friday ao redor do mundo.

Por isso a ideia de hoje é muito simples: inspirar. Porque no meio dessa confusão toda, nada melhor do que um momento de contemplação com figurinos elegantes. São 23 looks aleatórios de diferentes estilos e para diferentes ocasiões e estações. Todos usando black, claro.

Bom fim de semana pra todo mundo.


Referência pra homem: Jerry Seinfeld

by Eduardo Lautert


Mais uma quarta-feira que chega. E dessa vez vamos fazer diferente:

Não é novidade que Jerry Seinfeld é um dos maiores e melhores comediantes da história. Além co-criador de uma das séries mais aclamadas da televisão (Seinfeld) e considerado um dos precursores do stand up comedy, Jerry merece reconhecimento pelo seu papel na moda masculina. E isso não é de hoje.

Isso fica claro quando analisamos dois períodos da sua carreira: o auge nos anos 90 e o momento atual. Nos anos 80/90 “Seinfeld” era a série mais popular do mundo e os figurinos do seu protagonista serviam (e ainda servem) de referência. Jeans de cintura mais alta, blazers das mais variadas texturas, camisa de colarinho americano e muito provavelmente um par de tênis nos pés. Uma imagem clássica da década que tem surgido como tendência nos últimos anos. Enquanto isso o Jerry Seinfeld de hoje mostra algumas mudanças, mas o bom gosto e a originalidade seguem. Seus trajes podem não ser os mais modernos e dignos de passarelas internacionais, mas refletem um homem de mais de 60 anos consciente do seu próprio estilo. Blazers bem alinhados, sapatos elegantes e pouca presença de estampas e cores muito chamativas. Uma prova de que a elegância tem seus momentos e o principal é manter a originalidade sempre que possível.

Abaixo alguns dos seus melhores momentos:


O calção de banho definitivo

by Eduardo Lautert


Tá chegando o verão e a segunda-feira já está dedicada a ele. Ao calção, mais especificamente.

Calção, short, bermuda. Azar do nome. A questão é que muito homem ainda insiste na sunga branca na beira da praia. Ou ainda naquele bermudão até o meio da canela que contribui para o bronze desequilibrado do corpo… Nada contra, mas a gente tá aqui pra mostrar que o investimento em um calção de banho pode custar pouco e valer muito.

Esse item tem duas funções principais: conforto e praticidade. É por isso que o corte sendo um fator decisivo. Prefira aqueles que ficam alguns dedos acima do joelho. É bom também evitar os muito justos, para não comprometer performances atléticas na beira da praia ou da piscina. Na hora de decidir a cor e a quantidade de estampas, lembre-se que estamos falando de praia, sol e verão, ou seja, está permitido ousar um pouco mais. Mas lembre-se também de que o calção de banho pode não ser só de banho. Pode ser de academia, futebol e até sair - por isso leve em conta a facilidade para combinar. Abaixo vai uma galeria que ajuda a inspirar:


Referência pra homem: Anthony Joshua

by Eduardo Lautert


Quartou. E é véspera de feriado. Então vamos logo ao que interessa:

Anthony Joshua é hoje um dos boxeadores mais talentosos do certame. Com um histórico de 22 lutas e 22 vitórias (sendo 21 por nocaute), ele é o atual campeão peso pesado e ainda foi medalhista de ouro nas Olimpíadas de Londres em 2012. Mas nada disso importa - pelo menos hoje e agora. É do estilo do cara que queremos falar. E não estamos sozinhos na hora de colocá-lo como um dos esportistas mais elegantes da atualidade.

Elogiadíssimo por publicações de moda como as GQ, Esquire e tantas outras, além de ser garoto propaganda da Hugo Boss, Joshua é visto nos mais elegantes e alinhados trajes, respeitando o corte slim sempre que possível. Devido ao seu tamanho avantajado, é importante evitar roupas muito justas. E ele faz isso com bastante habilidade, sabendo manter-se num meio-termo de extrema elegância tanto no tamanho quanto nas cores, que raramente fogem do cinza, azul, preto e branco. Por último, mas não menos importante, o corte do cabelo e da barba é sempre sóbrio, impecável na medida certa e sem perder o aspecto natural.

Elegância peso pesado.


Livro pra homem: GQ How to Win at Life

by Eduardo Lautert


Segunda-feira, dia internacional do cansaço, do mau humor e de começar um livro novo. É nesse clima que a gente fala sobre mais uma publicação imperdível para o homem moderno: “How to Win at Life” da revista GQ britânica.

Por mais apelativo que possa soar, o título já entrega muita coisa. Como Vencer na Vida pode ser interpretado de diferentes formas, e segundo a própria publicação, as mais de 200 páginas prometem ajudar na maioria delas. Nas palavras do release feito pela GQ, o livro ajuda a “cozinhar como Jamie Oliver, mergulhar como Tom Daley, fazer magia como Dynamo ou começar um negócio estilo Richard Branson.”

Com base em entrevistas exclusivas, temos um guia didático e ilustrado para se destacar em assuntos como moda, esporte, comida e bebida, trabalho, romance, viagens e muito mais.


Referência pra homem: Sam Lambert

by Eduardo Lautert


Chegou a quarta-feira e chegou a referência de estilo masculino.

O designer Sam Lambert é o escolhido da vez. Outra figura constante nas fotos de célebres fotógrafos de moda de rua como Scott Schuman, Tommy Ton e Jak and Jil, ele é um dos caras mais elegantes dos principais eventos de moda internacional. Pelo menos um dos mais icônicos ele é.

E quando falamos em icônicos, tomamos a originalidade e a autenticidade como principais aspectos. Com figurinos inspirados nas primeiras décadas do século passado, o cara desfila por aí com combinações bastante sóbrias - e ao mesmo tempo criativas, diferentes e (por que não?) divertidas. 

Fazendo uso dos acessórios clássicos como chapéus, suspensórios, gravatas slim, lenços, óculos de armação grossa e muitos outros, ele nunca parece exagerar, já que, em compensação, não extravasa nas cores nem nas estampas. 

Tudo é fruto de muito cuidado e sabedoria. A mistura de elementos e peças em um mesmo figurino nunca parece exagero, apesar de eventualmente ele carregar uma grande quantidade deles. Sam Lambert pode não ser um modelo a ser seguido por todos, afinal, seu estilo é bastante irreverente, mas fica a nossa admiração pela criatividade aliada ao bom gosto que gera combinações elegantes e com muita atitude. Uma união que vale sempre como referência.


Referência pra casal: Sophie Turner e Joe Jonas

by Eduardo Lautert


Retomamos a nossa pauta com mais um belo e elegante casal.

Sophie Turner e Joe Jonas formam hoje um dos mais badalados da geração. Juntos há cerca de 2 anos e noivos há 1, a dupla mantém um certo low profile enquanto desfila pelas ruas com figurinos interessantes.

Ela é inglesa, atriz e mundialmente conhecida pelo papel Sansa Stark naquela série “Game of Thrones”. Aos 22 anos de idade, ela incorpora muito bem o estilo anos 90 na maioria das suas roupas. Calças de cintura alta, coturnos, jaquetas jeans e camisetas estampadas são alguns dos elementos mais vistos no seu guarda-roupas. Os acessórios seguem a mesma linha, sem exageros, mas com informações vibrantes de cores, estampas e brilhos.

Ele é americano e um dos três membros da boy band Jonas Brothers. Seu nome é frequentemente visto em sites e blogs de moda masculina graças ao seu bom gosto para se vestir. Suas produções mais recentes revelam o mesmo gosto pela moda anos 90, com peças estampadas e coloridas juntamente com jeans ajustado e tênis - enquanto que em ocasiões mais formais os seus ternos obedecem um elegante corte slim.


Referência pra homem: Hasan Minhaj

by Eduardo Lautert


Já estamos na quarta-feira e tá na hora de mais uma referência de estilo.

Hasan Minhaj é um ator / comediante / roteirista / apresentador que tem dado o que falar ultimamente. Seu novo programa na Netflix chamado “Patriot Act with Hasan Minhaj” funciona como um telejornal de comentários sobre política e cultura modernas com uma boa dose de humor. E além do talento em todas essa áreas, o apresentador de origem indiana ainda tem conteúdo de sobra quando o assunto é moda.

Frequentemente elogiado pelas suas combinações elegantes em suas aparições na TV e eventos, ele se destaca com aquele velho truque de apostar no corte preciso antes de investir em cores e estampas chamativas. Permanecendo dentro duma paleta discreta e coringa, que facilita diferentes combinações e serve para diferentes ocasiões, ele se apoia nos tons de cinza, preto, azul, marrom e branco, dando espaço para pequenos de delicados acessórios e complementos com mais informação como lenços, meias, gravatas e etc. Não esqueçamos do topete, que apesar de impecável, traz um ar natural importantíssimo para qualquer penteado.


Instagram pra homem: Valet Mag

by Eduardo Lautert


Segunda. Dia seguinte daquele que pode ser considerado um dos momentos mais importantes da história política e social do país. E pra fugir completamente desse tema e esquecer do alvoroço que foi, hoje trazemos mais um perfil cheio de imagens legais no Instagram. Nem que seja para dar aquela desopilada no dia a dia:

Com pouco mais de 20 mil seguidores, o @valetmag se apresenta como Your concierge to a well-styled life (Seu concierge/porta de entrada para uma vida elegante). O que explica muito bem o conteúdo que encontramos no feed: fotos e vídeos de diferentes áreas que englobam o universo do homem elegante. Moda, carros, viagens, música, filmes, decoração e design. Precisa mais?

Já respondemos que “não". Porque em momentos de tamanho calor político e social, um feed mais agradável sempre vem a calhar.


Referência pra homem: Nick Grimshaw

by Eduardo Lautert


Mais uma quarta-feira nas nossas vidas. E com ela, claro, mais uma referência de bom gosto e estilo masculino.

Nick Grimshaw é um dos mais famosos radialistas e apresentadores da Inglaterra. Ele apresenta programas na BBC Radio 1 e em outros canais de televisão da Inglaterra. Sua elegância já o colocou ao lado de mestres como David Beckham e David Gandy em listas de mais bem vestidos do país. 

Seu estilo rock'n'roll revisita muito daquela pegada punks dos anos 80, imortalizada por ícones como Ramones e Sex Pistols. Jaquetas de couro, jeans envelhecido e tênis esfarrapados compõem um visual que perambula também entre estilos mais modernos - adotando algumas tendências contemporâneas. Blazers bem cortados e topetes elaborados dão o toque final a essa mistura que se mostra muito certeira. 

Por mais apresentadores elegantes e sem sapatênis.


O novo uniforme de viagem do Barcelona e o que ele pode nos ensinar

by Eduardo Lautert


Começando a semana com futebol e elegância. Afinal, quem disse que ambos não podem andar juntos?

O Barcelona anunciou recentemente a sua parceria com a grife americana Thom Browne. A partir de agora, abrigos dão lugar a ternos de três peças, o esportivo dá lugar a alfaiataria e as cores azul e grená dão lugar aos diferentes tons de cinza. Mas o que essa mudança nos ensina em termos de estilo e o uso de peças clássicas / tradicionais?

Primeiro lugar, as cores. Um ponto positivo que merece se estressado: as tonalidades de cinza são ótimas alternativas para o dia ou para a noite, fugindo da seriedade e formalidade do preto e ainda mantendo a devida seriedade e discrição. Depois temos o corte, parte fundamental na hora de escolher qualquer (qualquer mesmo) peça de roupa. O paletó cumpriu o dever: encaixou bem no corpo dos jogadores e seguiu um caimento padrão infalível. O cardigan por baixo deu um ar moderno e ao mesmo tempo elegante para o visual. A gravata lisa e a camisa tradicional branca deram o complemento perfeito para a parte de cima do novo “uniforme". A calça, porém, apresenta alguns equívocos - na nossa humilde opinião: o gancho (aquela parte do zíper da frente) ficou um pouco grande demais, podendo atrapalhar o movimento das pernas. O comprimento ficou ótimo (mas folgado na parte inferior), trazendo uma estética mais contemporânea com a barra na altura do tornozelo e evidenciando um belo modelo de sapato brogue, que combinou muito bem com o resto das cores.

O que podemos tirar desse novo figurino? Primeiro lugar: é possível aliar esporte com elegância, basta saber dosar o conforto com as regras básicas de corte e caimento. Segundo: cinza é uma ótima cor para diferentes momentos e ocasiões - misture com tons claros para o dia e escuros para a noite. Terceiro: jogador de futebol (assim como qualquer outra pessoa) não precisa exagerar para chamar atenção - o melhor é apostar no simples com bastante capricho no corte.

Abaixo alguns registros do lançamento e da primeira viagem do clube (e do uniforme):


Macacão

by Eduardo Lautert


Sextou. E hoje falamos sobre figurino pro final de semana.

Quem nunca usou um desses quando criança? E hoje? Como adulto. Vale a pena investir em um? Claro. Mas antes vamos aos fatos:

Primeiro e mais importante vale a reflexão de tentar se enxergar num macacão. Faz sentido? Combina? Se a resposta for sim, parta pra análise do modelo. Como sempre, é fundamental que o corte que siga (pelo menos um pouco) o feitio slim para não ficar parecendo um funcionário de oficina mecânica. Modelos que só vão até o joelho são mais inusitados e consequentemente mais chamativos. É como usar paletó com bermuda - errado não é, mas fica estranho.

Depois disso é escolher a cor e a textura (embora os lisos sejam mais fáceis de usar). Tons de azul, verde, preto, cinza e marrom são infalíveis porque chamam menos atenção e combinam melhor com outros acessórios e calçados.

Abaixo montamos uma galeria com referências que seguem alguns desses princípios básicos acima citados:


Referência pra homem: Jonah Hill

by Eduardo Lautert


Precisamos falar sobre Jonah Hill. E nada mais justo do que fazer isso numa quarta-feira, nosso dia mundial das referências.

Jonah Hill Feldstein é ator, produtor, roteirista e diretor e há muito tempo deixou de ser o gordinho engraçado dos filmes de comédia. Sua estréia como diretor em “Mid90s” recebeu muitos elogios, colocando-o entre as principais revelações do momento. Não que ele tenha deixado de lado o perfil comediante, mas claramente Jonah é um cara que amadureceu. E isso se reflete também no seu guarda-roupas.

Motivo de algumas piadas quando o assunto era moda, o Jonah Hill versão 2018, entre outras, figura entre os 50 homens mais elegantes do ano - segundo a revista GQ UK - transformando-se num ícone do streetwear moderno. Roupas largas e mal combinadas, péssimo gosto para acessórios, cores e estampas deram lugar para looks mais sóbrios e contemporâneos, que mesmo flertando com o estranho incorporam o estilo skatista cool dos anos 90 com bastante bom gosto.


Logomania

by Eduardo Lautert


Moda é cíclica. Já ouviu isso em algum lugar? Provavelmente. Por isso nessa segunda-feira a gente retoma um assunto que tem dado o que falar ultimamente e não necessariamente pode ser considerado uma novidade.

Logomania é como muitos especialistas têm chamado o ato de vestir peças com estampas de logos. Falamos aqui sobre os anos 90 e a sua volta aos guarda-roupas e passarelas. Pois bem, a logomania é mais ou menos a mesma coisa - já que foi nessa década que as grifes passaram a “se estampar” nas roupas. Marcas como Gucci, Louis Vuitton e Supreme bebem bastante da fonte anos 90 e hoje se consagram como principais expoentes dessa tendência (se é que vale chamar assim).

Mas como incorporar? Uma dica é encarar os logos como estampas. Ou seja, vale investir e até misturar, mas sempre com uma boa dose de parcimônia, atenção e boas referências. Escala é uma regra que ajuda, no sentido de quando optar por um logo grande e chamativo em uma peça, equilibrar com menores e mais delicados no resto. Lembrando sempre que até nesse caso, menos é mais. Cores também merecem cuidado, já que misturar muitas ao mesmo tempo pode ser uma receita para o caos e o exagero.

Abaixo temos uma galeria bem variada de exemplos de logomania: