Pochete

by Eduardo Lautert


Nessa sexta-feira a gente aproveita pra falar sobre uma das principais tendências de moda masculina dos últimos tempos.

Não que a gente seja adepto de tendências. Como já falamos, tendência ou não, se é bonito, elegante e útil, tá valendo. Vai muito de cada um avaliar se combina com o seu estilo e se vale a pena adotar. No caso da pochete, isso não é diferente.

Populares nos anos 80 e 90, as pochetes não só entraram no esquecimento como também viraram sinônimo de breguice. Acontece que como muitas vezes na moda, tudo volta. E as pochetes voltaram com força nesses últimos anos - em muitos casos substituindo bolsas e mochilas de uma forma mais prática.

Se recomendamos? Claro. Pra todos os homens? Claro que não. De novo, antes de adotar qualquer estilo ou tendência, vale uma reflexão: Combina comigo? É útil?
- Feito isso, aqui vão alguns exemplos de diferentes modelos e estilos.


Referência pra homem: Michael Bastian

by Eduardo Lautert


De volta com as referências de quarta-feira, hoje trazemos mais um cara que é exemplo pra muitos homens.

Michael Bastian é um estilista americano que nem parece um estilista de verdade. Isso porque ele se veste com roupas casuais, fugindo daquele estereótipo por vezes exagerado dos seus colegas de profissão. É um estilo bastante contemporâneo, com preferência por peças neutras, estampas tradicionais e pouco espaço para exageros e ousadia em um conjunto inteiro.

Bastian, além de ser um exemplo de homem bem vestido que não ostenta nada, é também uma referência de homem acima dos 40 (ele tem 52), que sabe aliar idade com classe e charme. Um homem que, ao contrário da maioria que chega na idade avançada, não usa roupas velhas e largas, com combinações sem graça, nem pinta o cabelo e se veste como se tivesse 20 anos. Ele sabe manter a elegância apostando em peças discretas com corte impecável.

Mais uma vez a idade e a simplicidade se tornam aliadas do estilo.


Barra da calça

by Eduardo Lautert


Qual é a altura certa da barra da calça?

Antes de mais nada sempre vale lembrar que nada dito aqui deve servir como regra. São apenas dicas, ideias, referências... Vai de cada um absorver e abstrair o que é dito aqui.

Voltando pro assunto dessa segunda-feira, a barra da calça requer muitos cuidados. A começar com o tecido e o estilo da calça. As jeans, mais do dia a dia, têm uma variação grande de possibilidades. Podem funcionar bem curtas, acima do tornozelo (dobrada ou cortada) e podem funcionar cobrindo alguns cadarços do calçado, ficando um ou mais dedos do chão no calcanhar. Para calças sociais - de usar com camisa, sapato e paletó - recomenda-se mais precisão, não deixando que ela crie volume em cima do sapato, devendo cair reta e terminar logo acima dos pés.

Outro fator importante e que influencia essa medida é o corte. Quando o modelo da calça é slim ou skinny, a barra da calça deve começar bem na altura do tornozelo, para evitar volume acima dos pés. Em modelos mais tradicionais e abertos, essa medida desce um pouco, devendo cobrir um pedaço do sapato. Lembrando que essa medida deve ser feita sempre de pé, que é quando estamos em posição natural.

Abaixo vão algumas referências de diferentes modelos e estilos de calças e bainhas.


Decoração pra homem: Eames

by Eduardo Lautert


Sextou. E pra fechar a semana aqui vai uma referência legal de decoração.

Charles e Ray Eames talvez sejam os nomes mais conhecidos do design e da arquitetura moderna (último século). Casados desde os anos 40 e com contribuições notáveis até o fim dos anos 70, ambos foram responsáveis por alguns dos desenhos mais icônicos da história como cadeiras, sofás e armários - sem falar na enorme contribuição com filmes, fotografias e exposições de arte.

Criações que até hoje estão presentes na casa das pessoas, bem como nas páginas dos livros e revistas de decoração. Uma inspiração definitiva, que se mantém contemporânea ao longo de décadas e que consegue combinar diferentes ambientes e diferentes estilos.

Abaixo selecionamos alguns modelos de criação do casal que levam essas características e mais abaixo um TED do neto deles, Eames Demetrios, sobre o legado dos avós.


Referência pra homem: George Lamb

by Eduardo Lautert


A quarta-feira das referências voltou. E dessa vez temos um inglês para a nossa lista.

George Lamb é apresentador de tv e rádio na Inglaterra, onde atualmente comanda o Football Tonight no canal BT Sport. Presente na grande maioria dos eventos de entretenimento londrinos, ele é considerado um dos homens mais elegantes da nação.

Sem fazer questão de esconder os cabelos grisalhos - que já até viraram marca registrada, Lamb usa-os ao seu favor, revelando um cara bem vestido e confiante. Com cores bastante variadas, ele consegue montar figurinos interessantes e nem um pouco exagerados. Fã dos blazers, ele consegue vesti-los combinando o resto de forma muito adequada, independente da ocasião. O segredo está nos complementos, seja uma camiseta básica por baixo, seja com camisa + gravata + lenço.

Um exemplo que muitos homens deveriam seguir: cabelos grisalhos não são sinal de menos elegância. Ao mesmo tempo que usar blazer o tempo todo pode não ser um sinal de falta de criatividade.


O Próximo Convidado Dispensa Apresentações com David Letterman

by Eduardo Lautert


Segunda-feira aí e o assunto é Netflix.

Bom, não especificamente Netflix, mas o talk show "O Próximo Convidado Dispensa Apresentações com David Letterman" (ou My Next Guest Needs No Introduction with David Letterman em inglês). Lançado em janeiro, o programa consiste de seis episódios (entrevistas) mensais. Na primeira delas, Barak Obama. Na segunda, George Clooney. Depois ainda vieram Malala Yousafzai, Jay-Z, Tina Fey e Howard Stern - os dois últimos ainda não lançados.

E o principal motivo de esse ser o nosso assunto de hoje tá no bom gosto da coisa toda. Desde o cenário, a direção de arte até, a fotografia e claro, o figurino - onde reside o real motivo de esse ser o nosso assunto. Primeiro que David Letterman por si só já é uma referência, com trajes discretos e super bem cortados, combinando com acessórios simples e de muito bom gosto. Depois, na parte dos convidados, temos Barak Obama e George Clooney - mestres da simplicidade e da elegância com naturalidade; e Jay-Z, um rapper que aprendeu a se vestir com sabedoria e abandonou as roupas folgadas e correntes de ouro.

Tudo fruto de muito bom gosto e capricho estético, com elegância em detalhes como o corte dos trajes, os acessórios e etc. Definitivamente uma referência de estilo.


Livro pra homem: Where's Karl

by Eduardo Lautert


Nessa sexta-feira a dica é de livro. E de moda, claro.

O que Karl Lagerfeld, histórico designer chefe da Chanel, e Wally (Waldo na versão em inglês), aquele dos óculos de armação grossa e blusa listrada têm em comum? Praticamente nada. Mas agora temos a versão fashion de "Onde está Wally" com Karl Lagerfeld no papel principal e convidados especiais como Anna Wintour, Jay-Z, Alexander McQueen, Marc Jacobs e muitas outras figuras icônicas da moda internacional.

Stacey Caldwell e Ajiri A. Aki assinam a autoria e as ilustrações são da artista plástica Michelle Baron. Tudo ambientado em cenários clássicos da moda como o Met Gala, praias francesas, pool parties e etc.


Referência pra homem: Dan Trepanier

by Eduardo Lautert


A referência dessa semana, coincidência ou não, também tem um blog de moda.

Considerado pela revista Esquire como um dos americanos mais elegantes da atualidade, Dan Trepanier é criador do articlesofstyle.com - um dos mais visitados blogs de moda do mundo.

Sua forma um tanto 'dândi' de se vestir revela um enorme bom gosto e também muita criatividade. Quem acompanha suas fotos, percebe que ele consegue variar figurinos com bastante habilidade - sempre muito atento para cortes elegantes, que valorizam a silhueta. Vemos  também que diferentes peças compõem o visual dele, indo de ternos e gravatas até jaquetas e botas de couro. Variações de cores e texturas também são bastante notáveis, uma vez que ele costuma vestir uma quantidade considerável de tons diferentes sem nunca ficar espalhafatoso demais.


Meia colorida

by Eduardo Lautert


Taí um assunto que volta e meia retorna pra nossa pauta.

Frequente porque muita gente pergunta "qual meia eu uso em um casamento/formatura/baile?". Entender melhor esse tipo de combinação pode poupar tempo e até evitar algumas situações inconvenientes e constrangedoras de erros na hora de escolher o melhor modelo para dada situação. 

Obviamente tudo depende do nível de formalidade do evento em questão. Quando a coisa é requintada, como black tie, sempre é bom combinar com a cor do sapato e da calça - que preferencialmente são pretos. Se o traje pode ser mais variado no quesito cores, a opção mais conservadora é combinar a meia com a cor do sapato ou da calça, para que ela seja uma extensão da parte de cima ou da parte de baixo do costume.

Agora, se existe a possibilidade de deixar o visual mais alternativo e despojado (para não dizer divertido), não tem problema nenhum vestir uma meia mais colorida. Estampada ou lisa. Claro que uma dose de autocrítica e parcimônia fazem bem, até pra evitar um resultado espalhafatoso demais. Mas pensando nisso, abaixo vão algumas referências bacanas de como usar meias coloridas de forma elegante e criativa:


Referência pra homem: Simone Righi

by Eduardo Lautert


Quarta-feira vocês já sabem como é: dia de referência.

Simone Righi é um italiano de Florença, dono da própria marca de alfaiataria masculina: Frasi. Filho de mãe costureira, ele aprendeu desde cedo a mexer com tecidos e costura, se tornando hoje uma referência do ramo tanto na cidade (uma das mais reconhecidas do mercado) quanto no mundo. E não é só com a grife que ele se destaca: sua figura é também uma das mais vistas nos principais sites, blogs, tumblrs e afins quando o assunto é moda masculina tradicional.

Seu estilo mistura aspectos clássicos da alfaiataria italiana como o corte e a variação de cores e texturas. Ao mesmo tempo, é sensato dizer que ele faz tudo isso com tremendo despojo - com um ar de descontração - que torna até o mais tradicional dos conjuntos em algo natural e que não parece forçado. Ingredientes fundamentais para um homem ser considerado referência.


O estilo do Lollapalooza Brasil 2018

by Eduardo Lautert


É segunda-feira e pra quem passou o final de semana em Marte: o fim de semana foi de Lollapalooza em São Paulo.

Um dos festivais mais adorados da atualidade no Brasil mais uma vez reuniu artistas de diferentes estilos e gêneros para um público que girou em torno de 100 mil pessoas por dia. Em temos de figurino, teve de tudo. E para não deixar passar nada, a gente mostra quase tudo aqui:


Referência pra casal: Laura Vassar e Kristopher Brock

by Eduardo Lautert


Sexta-feira, pessoal. Desfrutem de mais um casal elegante e tenham um ótimo fim de semana:

Laura Vassar e Kristopher Brock têm atraído muita atenção nos últimos anos. Não apenas pelo estilo de cada um, mas também pela marca que criaram juntos: a Brock Collection - uma grife ready-to-wear feminina.

Casados desde 2014, os dois passam a mesma sintonia por trás das criações da marca para as roupas que vestem.

Ela é discreta e geralmente prefere conjuntos de cores mais neutras, com estampas delicadas e/ou clássicas. Peças como vestidos, saias, jeans e botas são as preferidas (não necessariamente tudo junto, claro). Ele é ainda mais minimalista, raramente saindo dos tons cinza, preto e azul com raros espaços para estampas. O corte é slim e peças como camiseta básica, jeans e bota são frequentes.

Sintonia pura no trabalho e em casa.


Referência pra homem: Justin O'Shea

by Eduardo Lautert


Com licença que tá chegando mais uma referência de estilo daquelas.

O nome dele é Justin O'Shea. Ex-Diretor criativo da grife italiana Brioni, ele hoje tem uma marca de roupas masculina, a SSS World Corp, que mistura referências heavy metal e anos 70 com itens de alfaiataria. Tudo num universo streetwear, trazendo a estética da moda de rua pras peças. Estranho, é, mas o resultado disso tá um pouco impresso no guarda-roupas do cara. E não dá pra negar que é bem elegante.

Atualmente ele ocupa o posto de um dos principais rockstars das grandes semanas de moda do mundo. E não é em cima da passarela que ele faz esse sucesso: seu rosto é um dos mais vistos nos sites de fotografia de moda de rua que cobrem tais eventos. Tudo isso vestindo ternos bem cortados, calça skinny, botas, poucos acessórios, muitas tatuagens e um conjunto barba-cabelo-bigode minuciosamente mau encarado, como se ele fosse o vilão de filme de ação muito bem vestido:


Colarinho italiano

by Eduardo Lautert


Aproveitando a época de formaturas, casamentos e etc, é fundamental prestar atenção nos detalhes que podem fazer muita diferença na hora de montar o traje ideal.

E o colarinho da camisa é um deles. Um capricho que por vezes merece uma boa dose de atenção. Assim como a lapela, ele pode fazer a diferença num conjunto. Tanto para melhor quanto para pior.

O colarinho italiano é aquele mais aberto, com as pontas da gola da camisa mais espaçadas, formando um ângulo maior entre uma ponta e outra. Pode até parecer frescura, mas esse tipo de colarinho pode ser o toque de elegância em um figurino, diferenciando-o dos outros. Ele necessariamente pede uma gravata mais larga. Modelos slim, ou de tecidos muito finos são mais difíceis de combinar aqui, já que ocupam menos espaço. O nó também deve ser igualmente largo, preenchendo mais o espaço entre as pontas da gola (Windsor e Semi-Windsor são os mais indicados).

Bom gosto com sotaque italiano. Só pode ser coisa boa.


Roubar cor

by Eduardo Lautert


A gente já falou disso. Muitas vezes. Mas é claro que não custa lembrar.

Essa é uma baita dica pra homens e mulheres na hora de combinar qualquer tipo de figurino. É tipo um truque, pra evitar muita mistura de cores e tons. Muitos diretores de arte e designers fazem a mesma coisa na criação de layouts, por exemplo.

Para quem ainda não leu sobre esse truque por aqui, expliquemos de novo: trata-se de roubar uma cor de outra peça do conjunto. Por exemplo, vai sair de camisa marrom? Calça um sapato marrom. Vai sair de calça azul marinho? Veste um cachecol azul marinho. Claro que existem casos onde o melhor é não combinar e deixar o visual mais descontraído, mas uma boa dose de parcimônia nunca é demais.

Favor não confundir com monocromia ou tom sobre tom. Monocromia, no seu sentido mais popular, significa o uso de diferentes tonalidades de uma só cor. Essa dica aqui serve mais pra algumas peças, não necessariamente pro figurino inteiro.

Isso também funciona com estampas: escolha uma cor da estampa pra combinar com outra peça de roupa.

Lembrando que isso não é uma regra. É só uma dica. Não precisa ser seguida à risca.


Referência pra homem: Milan Vukmirovic

by Eduardo Lautert


É quarta-feira. Dia de apresentar mais uma referência de estilo e elegância.

Milan Vukmirovic é também uma das figuras mais influentes da moda masculina atual. De origem sérvia, Milan é francês e hoje é editor chefe da revista FASHION FOR MEN, a qual também é um dos fundadores. Ao longo da carreira, ele também atuou como diretor criativo em diferentes projetos para grifes como Gucci, Jil Sander, Armani e Hugo Boss, ao mesmo tempo que participou de editoriais com revistas como L’Officiel Hommes, Details, V Man e i-D.

No guarda-roupas, uma grande mistura de referências e estilos. Ao mesmo tempo que vemos estampas camufladas, florais, étnicas e com grafismos, vemos também um verdadeiro apreço por peças discretas e minimalistas, na sua maioria de cores sóbrias. E essa é uma das melhores formas de combinar ambos estilos. Uma estampa mais vibrante e chamativa tende a combinar muito mais com peças neutras, porque elas equilibram o conjunto como um todo. Vale também destacar a careca (é sério), que mostra mais uma vez que a calvice não precisa ser desculpa para falta de elegância.


Instagram pra homem: highsnobiety

by Eduardo Lautert


Abrimos a semana com mais um clássico da nossa pauta: o Instagram pra homem - que obviamente é pra mulher também.

O Highsnobiety é um dos principais perfis da atualidade em termos de moda, música, arte e cultura moderna geral. Além do site, eles ainda tão presentes no Facebook, Twitter, Youtube (que já falamos aqui) e no no Instagram - com mais de 2 milhões de seguidores. Não é exagero dizer que trata-se de um dos principais canais de conteúdo da sua geração.

Especificamente falando do Instagram, essa pluralidade fica explícita. São fotos e vídeos que representam aspectos diferentes da cultura moderna. Desde os principais lançamentos das maiores semanas de moda, até registros da cultura de rua nas principais cidades do mundo. Deu pra entender? A ideia é essa mesmo, uma confusão causada pelos muitos estímulos visuais. A galeria abaixo resume um pouco tudo isso:


Anos 90

by Eduardo Lautert


Não é novidade pra ninguém que os anos 90 tão de volta. Foi assim com praticamente todas as décadas em termos de moda masculina e feminina. É um ciclo. Algumas coisas simplesmente retornam depois de um tempo. Em compensação não é novidade para ninguém que acompanha este blog que não damos muita bola pras tendências. Pelo menos no sentido de adotar algum estilo só porque é tendência e não necessariamente porque é elegante e/ou relevante.

Dito tudo isso, vale ressaltar que temos muito a considerar do estilo dos anos 90 para a moda masculina (e feminina também, claro) contemporânea. Aspectos como cores, materiais e até alguns cortes podem muito bem se encaixar numa realidade 2018, podemos dizer. Não à toa que marcas como Gucci, Nike, American Apparel, Urban Outfitters e muitas outras adotam elementos e características dos anos 90 para coleções atuais.

Ao mesmo tempo, ícones da moda de 20 anos atrás retornam ao posto de referência de estilo. Caras como Spike Lee, River Phoenix, Jerry Seinfeld e Will Smith surgem como alguns exemplos disso. Abaixo temos uma galeria com combinações inspiradas naquela época e fica a reflexão: os anos 90, assim como qualquer outra década, servem sim como referência de estilo, independente de quem disser que é ou não tendência.


Referência pra homem: Nick Wooster

by Eduardo Lautert


Retomando aquela nossa tradicional busca pelos caras mais elegantes do mundo, hoje trazemos um dos mais respeitados e reconhecidos do meio.

Nick Wooster é figurinha repetida, principalmente por aqui. Todo mundo que gosta e consome moda masculina em algum momento se deparou com essa figura. Ele é consultor de moda masculina para grandes marcas e publicações, com trabalhos para grifes como Calvin Klein, Barneys New York, Ralph Lauren, Bergdorf Goodman e Neiman Marcus. Presente nos principais eventos, sites e blogs do ramo, ele é uma verdadeira autoridade no assunto. E claro, todo esse currículo se reflete nos figurinos.

De ternos muito bem cortados a combinações despojadas com bermudas, tênis e etc. Suas roupas são sempre um primor de corte e atenção para os detalhes. Cores podem variar, mas com muita atenção para combinar cada tom, estampa e textura. Sem falar nas tatuagens, o topete e o bigode - marcas registradas. Originalidade, experiência e muito bom gosto.


O estilo do Oscar 2018

by Eduardo Lautert


Sim, estamos de volta! E que jeito melhor de retomar os trabalhos em busca das melhores dicas e referências de moda masculina do que com os caras mais elegantes do Oscar 2018?

Em um ano já conturbado no meio do cinema, os atores abandonaram o preto - adotado como forma de protesto nos prêmios do início do ano - e voltaram a experimentar cores, texturas e formatos. Claro que muita gente exagera e sai um pouco da linha, mas mais uma vez foi muito fácil escolher caras bem vestidos. Com vocês, os 10 homens mais elegantes da cerimônia de ontem: