Bola de Ouro do estilo - 2013

by Eduardo Lautert


Pois é, no dia seguinte do Globo de Ouro, um dos principais prêmios do cinema internacional, nossa pauta abre espaço para mais uma noite de gala. Dessa vez do futebol.

A Bola de Ouro (Balon d'Or) aconteceu na noite de ontem, em Zurique, na Suiça. Na platéia, os principais jogadores, ex-jogadores e dirigentes do mundo. Muitos deles impecáveis, outros, seguindo à risca aquela máxima de que jogador de futebol tem que chamar a atenção.

Aqui vai um breve resumo do que "rolou" no evento:

O Rei Pelé recebeu uma devida homenagem na noite de ontem. E o fez com estilo. Tudo bem que o terno e/ou a gravata poderiam ser alguns tons mais escuros, mas quem somos nós para discordar de tamanha autoridade.

Boa parte do time do Barcelona também marcou presença. Daniel Alves, um dos mais atletas mais estravagantes da atualidade conseguiu baixar a bola. Com um smoking de três peças, o brasileiro foi um dos destaques. O mesmo não podemos dizer sobre o craque ao seu lado. Com um smoking também de três peças, Messi exagerou bastante no tom e no tecido. Por maior que seja a sua elegância dentro de campo, Lionel começou a Bola de Ouro quando apareceu com esse costume. Um pouco abaixo, mas ainda cometendo o mesmo erro que seu colega camisa 10, Neymar também exagerou na escolha. A estampa do blazer e principalmente da gravata comprometeram a atuação do rapaz. Por último, Xavi mostrou (mais uma vez) que é inteligente e elegante dentro e fora de campo. Terno e acessórios discretos para se destacar da forma certa.

Ronaldo Fenômeno, um dos pioneiros das chuteiras coloridas e dos penteados bizarros, dá mostras de ter superado a fase boleira. Tá certo que o blazer parece pouco acinturado e o nó da gravata estava frouxo, mas a intenção foi mesmo boa.

Apresentador da noite, o ex-jogador Ruud Gullit, abandonou de vez a cabeleira dos anos 80. E fez bem. Seu terno também foi uma boa escolha. Só faltou escolher uma camisa com colarinho tradicional, e não uma para ser usada com fraques e smokings.

Classe, elgância e talento. Atributos que Manuel Neuer, o atual melhor goleiro do mundo demonstra dentro e fora da meta. Seu figurino para a premiação foi uma lição de como usar um terno de três peças sem gravata. Nota 10 para o camisa 1.

Autor do gol mais bonito do ano, o sueco Zlatan Ibrahimovic também fez bonito ao subir no palco para receber o prêmio Puskas. Terno discreto, cabelo preso e nada mais. A firula fica para o campo.

E a Bola de Ouro foi mesmo merecida. Cristiano Ronaldo foi sim o melhor jogador do ano e foi também o mais bem vestido (pelo menos na premiação). Com um smoking caprichado e detalhes interessantes como o lenço no bolso e os botões pretos, Ronaldo mereceu todos os aplausos. Que sirva de lição para muitos boleiros por aí.