Chapéu de inverno

by Eduardo Lautert


Aproveitando a massa de ar polar, que começa a tomar conta do (sul) Brasil, o assunto de hoje vai ajudar muita gente na hora de se proteger durante a semana mais fria em anos.

Ao invés de esquentar a cabeça usando aqueles tradicionais chapéus russos, espalhafatosos e cheios de pelo, que tal investir em um chapéu mais discreto? Não precisa apelar para os modelos mais caros. Como em quase todas as situações, tem sempre um modelo que cabe no bolso.

Os mais tradicionais, procurem chapéus com abas largas (mais de três dedos). Existem muitos modelos de abas curtas e levantadas que apresentam um resultado bem diferente e menos interessante. Estampas e tecidos podem variar, mas sem fugir muito do lugar. Se a preferência for por toucas e gorros, a questão das cores permanece: prefira as discretas e com pouca (ou nenhuma) estampa. Boinas e afins também podem seguir os mesmos caminhos. Lembrando que a maioria desses exemplos pode ir bem tanto em situações formais, quanto mais despojadas.

Nada contra os russos, ou contra os caçadores que usam guaxinins na cabeça. Acontece que, às vezes, é melhor seguir a tradição.