A volta dos Rolling Stones ao Hyde Park

by Eduardo Lautert


Depois de 40 anos, alguns cabelos grisalhos, bons escândalos e muitas rugas, os Rolling Stones voltaram ao Hyde Park. Sábado, 6 de julho foi a data escolhida pela turma para repetir a apresentação de 1969. Em comemoração e em homenagem, vamos a uma breve recapitulação dessa apresentação, comparando com aquela antológica de 40 anos atrás.

Começamos por Charlie Watts. Como sempre discreto, o baterista mostrou a classe e a elegância de sempre ao vestir uma camiseta básica. Sim, Charlie sabe ser um lorde inglês mesmo de camiseta e calça jeans. Chegamos a Ronnie Wood. O único não remanescente da formação de 69. Esqueçamos os cabelos pintados e as camisetas cheias de estampa. Ronnie se veste com confiança e atitude de astro do rock. Falando em astro do rock, chegamos ao guitarrista líder: Keith Richards. Ele não tem mais aquele cabelão moreno, nem o fôlego de um rapaz de 20 e poucos anos, mas tem a cara do rock. Do bom e velho rock. É claro que os lenços, brincos e caveiras não perderam o lugar no figurino pirada de Keith. Por fim chegamos ao cara que leva todo mundo das costas - quase que literalmente. Ele pode vestir blazer dourado, camisa transparente e pintar o cabelo. Mick vai sempre ser lembrado como um dos maiores showman da história da música. Muito pela sua voz, seus rebolados e seu estilo.

Por mais roqueiros como os Stones. Seja na música, seja no estilo.